Mariategui

José Carlos Mariátegui (1894-1930) é um dos mais importantes intelectuais marxistas e militantes comunistas na América Latina. Ele levou o marxismo a um profundo e desafiador diálogo com as condições concretas da vida social da América Latina – especificamente andina; e ele desenvolveu fundamentos éticos para o crescimento da política comunista. Esse volume, produzido por seis editoras em seis diferentes línguas, reúne três textos de Mariátegui juntamente com um ensaio de Florestan Fernandes (1920-1995) e um prefácio preparado pelo coletivo da Escola José Carlos Mariátegui, na Argentina.


A LeftWord Books e nossas editoras parceiras na Índia, fizeram um apelo para que o Dia dos Livros Vermelhos seja realizado em 21 de fevereiro de 2020 como uma maneira de lutar contra a irracionalidade da extrema direita. Pedimos às pessoas em todo o mundo para ir a lugares públicos e realizar leituras do Manifesto Comunista em seus próprios idiomas. O esforço foi imediatamente apoiado pela Assembléia Internacional dos Povos e por vários partidos políticos, editoras, livrarias, escritores e artistas. O designer indiano Orijit Sen criou um logotipo; o Instituto Tricontinental de Pesquisa Social desenvolveu uma série de pôsteres.


LeftWord Books (India), Expressão Popular (Brasi) e Batalha de Ideias (Argentina) – em colaboração com o Instituto Tricontinental de Pesquisa Social produziram em conjunto um livro comemorativo chamado Lênin 150. O volume reúne o ensaio de Lênin de 1913, “Três fontes e as partes integrantes do marxismo”, o poema épico que Maiakovski escreveu quando da morte de Lênin (1924) e um breve ensaio de Vijay Prashad sobre a teoría e a práxis de Lênin.


O vírus SARS-CoV-2 ou Covid-19, agora declarado uma pandemia global pela Organização Mundial da Saúde, começou a causar estragos em muitas partes do mundo, enquanto outras seguem em alerta. Estamos em uma guerra real que exige mobilizar todos os esforços e, acima de tudo, colocar a vida e não os lucros em primeiro lugar. Só venceremos esta guerra – como a China já fez – se tivermos unidade e disciplina popular, se os governos ganharem nosso respeito por suas ações e se agirmos em solidariedade em todo o mundo.