Quando realmente, de forma urgente e desesperada, o povo precisa dizer algo, ele não espera pelos designers. O povo segue em frente, produzindo cartazes e panfletos da melhor maneira que podem – às vezes com resultados espetaculares. No processo, alguns também se tornam designers, orgânicos em seus movimentos, comunidades e contextos. As obras da Exposição de Cartazes Anti-imperialistas II: Neoliberalismo variam desde as criadas por designers profissionais até as feitas por artistas autodidatas, ativistas sem prática formal ou estreantes.

Nos sentamos com Li Zhong (李钟) em uma pequena casa de chá ao ar livre de um amigo; Zhong é pintor da Academia de Pintura e Caligrafia de Xangai e presidente da Associação de Artistas do Distrito de Fengxian.
Para o dossiê, CoronaChoque: o vírus e o mundo, convidamos artistas e militantes de todo o mundo a contribuir com suas reflexões visuais feitas durante a quarentena para o caderno de desenhos do CoronaChoque.
Este dossiê traça a História da produção gráfica na Cuba pós-revolucionária, particularmente por meio da OSPAAAL. Cuba, que havia sido a queridinha do imperialismo estadunidense, buscou seu próprio caminho rumo ao socialismo. Entre as heranças obtidas pela revolução estavam bem desenvolvidos meios de comunicação de massa, com mão de obra ...
Entrevistamos Pavel Égüez – pintor e muralista latino americano – em seu segundo mês de quarentena e conversamos sobre a situação no Equador e sua nova série de pinturas, Cuarentena. Ele convoca os artistas a refletir e participar nas lutas do povo – uma vez que seus movimentos sociais e ...
A primeira Exposição de Cartazes Anti-Imperialistas. Esta série de quatro exposições online nos próximos meses servirá como instrumentos culturais para animar e aprofundar o processo político da Semana Internacional de Luta Anti-Imperialista, uma plataforma política que emergiu de movimentos populares, organizações políticas e redes de todo o mundo.