As transformações impulsionadas no contexto neoliberal atual do capitalismo tem promovido uma série de mutações no terreno do Estado, da democracia, das formas de governo das populações e indivíduos e da construção de hegemonias, assim como tem havido uma suposta renovação dos debates, das práticas e programas emancipatórios nesses campos. Este coletivo se propõe a estimular a reflexão e discussão sobre as características, tendências e efeitos dessas mutações e os desafíos que coloca para o pensamento crítico e para os movimentos populares. Um trabalho particularmente centrado no estudo das consequências que nesse terreno traz a ofensiva neoliberal que ocorre atualmente; com referência em especial aos modos de subjetivação neoliberal atuais incluindo aqueles caracterizados às vezes como fascistização social, os processos de desdemocratização e desnacionalização do Estado, das mudanças da matriz liberal e das formas emergentes de um Estado de exceção ou penal-punitivo, assim como as experiencias e alternativas passadas e presentes propostas pelos movimentos populares em relação a esses processos.