Uma característica fundamental do nosso instituto de pesquisa é desenvolver uma teoria do futuro, estudando formas de vida social e práticas que indicam alternativas ao modo de produção capitalista. Nesse sentido, esse campo de pesquisa se dedica à sistematizar e refletir sobre processos de emancipação e luta ideológica.


Pesquisa sobre os Evangélicos e a Política

O fantasma pentecostal recorre o mundo. Na maioria são igrejas conservadoras que irrompem no cenário político alimentando as novas direitas. Impulsionam a “Teologia da prosperidade”, a guerra espiritual, apontam contra o feminismo. Mas no coração do bairro portenho do Parque Patricios, em Buenos Aires (Argentina), expande-se uma mega-igreja evangélica fundada pelo Pastor Guillermo Prein que rompe com esse modelo. Será apenas uma exceção à regra ou a ponta de lança de uma contracultura religiosa?


Para o pastor Valdinei Ferreira, da Catedral Evangélica de São Paulo, a união de Bolsonaro com os evangélicos é a mais estável desde sua eleição. Algumas análises apontam que o poder religioso foi superestimado nas eleições, mas o debate é mais complexo. A falácia da “ideologia de gênero” segue firme entre os setores fundamentalistas evangélicos e integralistas católicos. Ao que parece, a intolerância religiosa não está de quarentena, já que todo mês há denúncias de terreiros que foram queimados ou hostilizados. Definitivamente, a palavra “cristofobia” entrou no vocabulário popular evangélico após a fala proferida por Bolsonano na ONU.


Pesquisa das Juventudes em Periferias Urbanas

A greve dos entregadores de aplicativos talvez tenha sido um dos momentos de maior destaque em 2020, quando olhamos as novas formas de organização dos trabalhadores. Apesar de recorrerem a uma prática já bastante conhecida, a greve, os entregadores de aplicativos inovaram na forma de articulação e nos sujeitos que estão envolvidos no processo.


Diferentemente da “solidariedade S.A.”, a solidariedade popular é formada e estruturada a partir de relações participativas: todos os envolvidos acrescentam, produzem e constroem esse processo. Reconhecer e resgatar essa solidariedade popular é apostar na infinita capacidade de ação, superação e criação do povo para seguir produzindo e reconstruindo o Brasil que queremos.